Foram postas a circular nas redes sociais, informações que acusam a Imogestin de se ter constituído como uma fonte de propagação da COVID-19.

O autor de tais informações, que se identifica como Sacatindi, acusa a Administração da Imogestin de esconder tais informações das autoridades sanitárias e dos seus trabalhadores.

A Imogestin, pela presente, esclarece que existem trabalhadores que acusaram positivo para a COVID-19, sendo que nenhum deles transmite a doença, isto é, são não activos.

Ao tomar conhecimento da existência do primeiro caso positivo, a Administração da Imogestin orientou a realização de testes a todos os colegas com quem manteve contacto, tendo informado, de imediato, as autoridades sanitárias, as quais assumiram desde então a condução do processo de realização de testes.

A Imogestin tem respeitado todas regras de biossegurança emitidas pelas autoridades competentes.

A Imogestin lamenta a publicação de tais informações sem ter sido contactada previamente, o que demonstra a má-fé do seu autor, cujo único objectivo é o de causar pânico entre os colaboradores e prejudicar a empresa

Luanda, 13 de Outubro de 2020
___________________
A Administração

Carregue aqui a nota em formato pdf: Nota de Esclarecimento