Em relação ao tema em apreço, somos a partilhar as análises do mercado realizadas por algumas consultoras imobiliárias que actuam no país.

Abacus 

De acordo com a Abacus, para o ano de 2021, até a massificação da vacinação e a concretização de investimento interno, não é esperado um aumento da actividade económica que afecte significativamente a procura imobiliária. Os dados constam do seu último Relatório de Mercado Imobiliário Angola 2021.

Em mais de 20 páginas, o documento analisa os mercados residencial, de escritórios, hoteleiro, industrial e logístico, investimento, gestão imobiliária entre outros segmentos do sector

Aceda ao relatório completo: (27d4a2fd-0d66-49d6-9ade-5c22738abe76.pdfegorealestate.com ).

Prime-Yield Angola

Para a Prime-Yield Angola, a crise que o sector imobiliário enfrenta por conta da baixa do preço do petróleo, em 2014, poderá registar um abrandamento na queda dos preços até 2022, “e uma possível estabilização a partir de 2023/2024”.

Não tivemos acesso ao referido estudo, no entanto, o jornal  Expansão publicou uma matéria com base nesse estudo, na sua edição de 5 de Fevereiro de 2021.

Aceda à matéria completa: (Prime Yield na imprensa: “Angola: Preços das habitações afundam até 34,4% desde 2016” (prime-yield-angola.com).